Índice de Infestação do Mosquito Aedes Aegypti é de 2,5% aponta último LIRAa
08/04/2021 Missal

Entre os dias 05 e 06 de abril de 2021 foi realizado o Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti (LIRAa) no município de Missal. Foram vistoriadas 200 residências em todo o municipo, chegando a um percentual de 2,5%, considerado um índice elevado, já que o preconizado pelo Ministério da Saúde é que seja de menos de 1%.

Este dado preocupa ainda mais as autoridades municipais, tendo em vista que o número de casos positivos de dengue no município não para de subir. O último boletim apontou 191 casos positivos, porém, ainda há 53 que aguardam resultados de exames, que foram encaminhados para análise laboratorial no Estado e isso retarda um pouco mais o diagnóstico. Ou seja, pode-se dizer que Missal já ultrapassou os 200 casos positivos desde o início do ano.

O próximo dia 09 de abril será o 100º dia do ano de 2021. Isso significa que são mais de 2 casos de dengue confirmados por dia. Mas vale lembrar, que os primeiros meses dos anos anteriores, não eram registrados tantos casos de dengue, e, desde que foram efetivamente confirmados casos, o número de casos diários aumenta. Na região o município de Missal é um dos que mais registra casos de dengue comparado a população.

No último dia 06 de abril, foram realizados mais bloqueios de casos com aplicação de inseticida com bomba costal. Esse inseticida, que é o mesmo utilizado no Carro Fumacê, elimina os mosquitos adultos, e essa aplicação ocorre nas proximidades de onde houveram casos positivos recentemente. Mas, ele não elimina as larvas, estas, devem ser eliminadas pela população com a limpeza e verificação dos terrenos de forma constate.

Os agentes de endemias continuam encontrando larvas do mosquito transmissor da dengue em diversos locais do município e alerta a população, que se não houver os cuidados necessários, a tendência que a epidemia de dengue perdure por muito tempo. É necessária e urgente e colaboração da população, para que não só os casos diminuam, mas que a epidemia seja controlada também nos próximos anos.

Assessoria

 
MAIS NOTÍCIAS
PARCEIROS